Sal rosa do Himalaia, sal marinho ou sal de cozinha. Qual o melhor?

Entre os tipos de sal que existem – dentre os quais o marinho é o mais usual – uma espécie tem chamado a atenção devido à sua pureza química: o sal rosa do Himalaia.

No processamento do sal de cozinha é completamente retirado os seus minerais com a exceção de sódio e cloreto. Ele é, em seguida, branqueado, limpo com produtos químicos e, em seguida, aquecido à temperaturas extremamente altas.

O iodo que é adicionado ao sal de mesa, é quase sempre sintético, e de difícil absorção para o nosso organismo.

Apesar do sal marinho ser uma escolha melhor do que o sal de cozinha, ele está se tornando cada vez mais processado, devido a poluição dos oceanos. Por isso, o sal rosa é dito o mais puro sal disponível hoje, devido as suas condições originais, ele é mantido em ambiente intocado e que foi cercado por neve e gelo durante tantos anos sendo assim é protegido da poluição moderna.

O sal rosa é considerado o sal mais puro do planeta e sua cor rosa deve-se à alta concentração de minerais em sua composição – ele carrega mais de 80 tipos de minerais, tais como cálcio, magnésio, potássio, cobre e ferro.

Em 1g de sal há 230 mg de sódio, enquanto no sal refinado há 400 mg.

Por causa desses compostos, os cristais ganham o tom característico e um sabor com toque metálico agradável e suave. Pode ser empregadas em carnes grelhadas, saladas com azeite e legumes na manteiga.

Porém, deve-se evitar as receitas com caldos, e, em carnes, deve ser aplicado na hora do preparo, já que tende a ressecar os alimentos porque atrai água.

O alto poder desintoxicante do sal rosa é benéfico para ajudar a eliminar toxinas do corpo, purificar o sangue e regular a produção de óleo pela pele. Além disso, a alta concentração de magnésio, por exemplo, é benéfica para prevenir cãibras, fortalecer os músculos e o sistema imunológico.

Equilibrium Produtos Naturais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *